segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Cruzeiro de Ano Novo - O Navio

Até o dia 29 de dezembro minha programação para a virada do ano era passar na casa da sogra, como tem ocorrido há vários anos consecutivos. Eis que do nada, marido disse que iríamos viajar. Não tínhamos destino, passagens, nem nada. O fato é que viajaríamos de qualquer jeito, estava decidido. Fomos a agência de viagens e lá eles nos sugeriram um cruzeiro de ano novo. A princípio não gostei muito da ideia, seriam oito dias, pensei que pudessem ficar mareada ou qualquer coisa parecida. Mas pensar em ver os fogos em Copacabana me convenceu na hora. Detalhe: O embarque foi no dia 30, ou seja, compramos com menos de 24h de antecedência. 
O roteiro era o seguinte: Saída de Santos-SP, Ubatuba-SP, baía de Copacabana, 1 dia de navegação, Ilhéus-BA, Salvador-BA, 1 dia de navegação, Búzios-RJ, Cabo Frio, chegada em Santos-SP.
Fomos pela empresa MSC no navio Orchestra.

Restaurante Villa Borghese. 

Eu tomava café da manhã e jantava nesse restaurante a la carte todos os dias. A comida estava inclusa, as bebidas eram cobradas a parte. No jantar a mesa é marcada, todos os dias jantávamos na mesma mesa e com o mesmo casal, super simpáticos por sinal. Fora o Villa Borghese, tinha também o restaurante Hibiscus, o self service, um japonês e um italiano (estes últimos não inclusos no pacote). O self service ficava quase que o dia inteiro aberto, tinha pizza (de massa de pão, horrível!) praticamente o dia todo, ceia, café para madrugadores, lanche da tarde... Só comia no self service quando perdia o horário do a la carte. A comida deste último era, menos pior que a do primeiro. Sim, a comida não é boa. Muito industrializada. Também, comida o dia inteiro para quase 3000 pessoas, o que eu poderia esperar?

Nossa cabine.


Por sorte conseguimos cabine de meio e com varanda. Dizem que as pessoas que ficam em cabines próximas as extremidades do navio ficam mareadas. E se não tivesse cabine com varanda, provavelmente não toparia o cruzeiro, visto que sou um pouco claustrofóbica. Outra coisa que gostei foi o tamanho dela, muito bom, maior que muita suíte de apartamento que tem por aí.

Piscina

Esse painel dava um clima todo especial a área das piscinas.


Eram duas piscinas grandes e quatro hidromassagens.

E shows de dança aconteciam nesse espaço quase que diariamente.

Essa era a parte que sempre estava lotada, principalmente de crianças. Observei que todos os dias eles esvaziam as águas das piscinas, tratam a água e enchem de novo. Muito aprovado, visto que é gente pra caramba que nada ali todo dia. 
Tem um bar com sorveteria nesta área. Que por sinal era o sorvete italiano mais horrível que comi na vida. Quando enjoávamos do suco sabor vitamina C efervescente que serviam no café da manhã, tomávamos o suco de laranja natural, que era feito na hora nesse bar.

Apresentação Teatro Covent Garden.

Todas as noites tinha apresentação de musical, com acrobacias e até mágicas. Pra quem gosta, é lindo, cá entre nós, eu prefiro stand up comedy.

Área comum.


MSC Orchestra.

Malhei três dias! 

Os aparelhos da academia são excelentes. Uma pena terem só cinco esteiras e dois elípticos. Enfrentar uma filinha antes de malhar era inevitável. Também não tinha instrutor, o que pra mim não faz diferença, mas algumas pessoas idosas reclamavam bastante da falta de auxílio. Sensacional malhar enquanto o navio navegava, melhor vista de todas!

Todas as noites um pianista tocava ao lado dessa bela escada.

Teatro Covent Garden.

Savannah Bar. Musica ao vivo todas as noites.

Savannah Bar. Musica ao vivo todas as noites. Perdi as contas de quantas vezes ouvi "Ai Se Eu Te Pego". Ecat!

Tinha outro bar também com música ao vivo, que funcionava quase toda noite.

Festa no restaurante Villa Borghese.

Na área das piscinas.

Recepção.



Destaque especial para a área do spa (não inclusa no pacote):
Lá eu fiz a melhor massagem da minha vida. Numa sala linda (pena que não tirei foto) e toda envidraçada. A massagista, uma indonésia, aliás todas as massagistas eram dessa nacionalidade, tinha umas mãos tão fortes que eu tivesse a impressão de que ela estava andando nas minhas costas. Uma delícia de massagem, super relaxante. Pena que deixei para o último dia, se soubesse teria feito mais vezes. 
Fizemos também hidromassagem na água quente (também numa sala linda envidraçada) e sauna a vapor. Que por serem pagas a parte, viviam praticamente vazias, eu achava ótimo, pois saía da muvuca que ficava nas piscinas.

Pontos positivos: 
Muito luxo, requinte, funcionários atenciosos (mesmo os que não falavam português).

Ponto negativo:
Comida.

Continuo no próximo post.






3 comentários:

Gabriela disse...

Mi, eu nunca fiz cruzeiro, quero um dia fazer !!! Nas fotos pareceu tudo bastante luxuoso, que legal ! Vem cá, uma dúvida ... Vc achou muito muvucado, cheio de gente a ponto de incomodar ? Pq essa é uma das minhas preocupações ...

Beijocas

Lau! :) disse...

Miii! A minha sogra tava no Costa Pacífica, ela não parou em Búzios na volta, ela foi pra Angra! De resto acho que foi tudo igual! :)
Morro de vontade de fazer, mas quero ir com a minha família ou só eu e o Fernando... sempre que rola um cruzeiro vai a família toda do Fernando, muita gente!
Mesma pergunta da Gabi: não rola a maior muvuca no navio???
Ah, como vc pode ter percebido, voltei a blogar!!!
Beijo :)

Claudia disse...

Oi Mi
Fizemos uma viagem no começo de dezembro no mesmo navio. Adorei o Orchestra. Nao gostava do bandeijao, mas achei a comida do restaurante uma delicia.
Bjks mil

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...